fbpx

Brasil: novo sistema de alerta de desastres chega até dezembro; entenda como funciona

Um homem em sua bicicleta observa as águas do rio Piracicaba em níveis elevados durante uma grave inundação na cidade de Piracicaba, SP, após fortes chuvas atingirem a região. (Imagem: Nelson Antoine / Shutterstock.com)

O Brasil se prepara para implementar um novo sistema de alerta de emergências, previsto para entrar em operação no Sul e Sudeste até dezembro deste ano. Com foco nestas regiões, onde o período de verão traz um aumento na ocorrência de chuvas e, consequentemente, de situações de risco, o sistema promete trazer maior eficiência na comunicação e preparação para eventos adversos.

A informação é do g1 e da TV Globo, que entrevistaram Gustavo Borges, superintendente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

“A expectativa é que a gente consiga expandir até o próximo verão para todos os estados da região Sul e Sudeste”, afirmou Gustavo Borges, superintendente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em entrevista ao g1 e à TV Globo.

Atualmente, a Defesa Civil realiza testes do sistema em dez municípios brasileiros, escolhidos estrategicamente com base em seu histórico de desastres e na capacidade das defesas civis locais.

Funcionamento do novo sistema de alertas

ITorre de telecomunicações, em Salvador, BA. (Imagem: Joa Souza / Shutterstock.com)magem: Microsoft

O novo sistema operará por meio de mensagens sonoras e pop-up nos celulares, que se sobrepõem ao conteúdo da tela. Uma das vantagens é que nenhum cadastro será necessário por parte do usuário para receber essas mensagens. Basta possuir um celular compatível com redes 4G e 5G e estar em área de cobertura para receber os alertas automaticamente.

  • A Defesa Civil será responsável pela operação do sistema, delimitando áreas de risco para emitir os sinais de alerta.
  • Todos os celulares compatíveis dentro dessas áreas receberão as notificações.

É importante ressaltar que os aparelhos adquiridos a partir de 2020 já são compatíveis com essa tecnologia, que funciona em redes 4G e 5G.

  • Apesar da implementação do novo sistema, o SMS continuará sendo utilizado pela Defesa Civil, principalmente em situações de alto risco.
  • O novo sistema, conhecido como “cell broadcast”, será reservado para momentos graves e com alta probabilidade de ocorrência de desastres.

“É um aviso que, de certa forma, gera uma situação de muita atenção por parte da pessoa. Então, tem que ser reservado para momentos e situações muito graves, com altíssima probabilidade [de ocorrer].”

Gustavo Borges, superintendente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em entrevista ao g1 e à TV Globo

Pendências para o lançamento

“No final de 2022, por iniciativa própria, a Anatel determinou que as operadoras implementassem o novo sistema de alertas”, ressaltou Borges. “Restam, no entanto, duas pendências para o lançamento: o treinamento das defesas civis e o plano de comunicação.”

Para o lançamento do sistema, ainda são necessários o treinamento das defesas civis e a elaboração de um plano de comunicação. Essas etapas estão sob responsabilidade do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR) e do Ministério das Comunicações.

Forte inundação atingiu o Rio Grande do Sul este ano. (Imagem: Cid Guedes / Shutterstock.com)

Segundo informações do MIDR obtidas no começo de maio pelo g1, o sistema está em fase final de ajustes, e espera-se que o lançamento ocorra assim que a situação no Rio Grande do Sul se normalize.

No primeiro dia de testes para os dez municípios selecionados, a Anatel realizará um alerta de demonstração para explicar o funcionamento do sistema e como utilizar os recursos disponíveis.

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore