fbpx

Comissão criada no Senado vai discutir avanços da IA no Brasil

O principal objetivo da comissão é estabelecer diretrizes amplas para o desenvolvimento e uso responsável da inteligência artificial
(Imagem: Pedro França/Agência Senado)

O Senado Federal anunciou a criação de uma Comissão Temporária sobre Inteligência Artificial (CTIA) que vai abordar os desafios decorrentes do avanço tecnológico e a proteção da privacidade dos cidadãos.

Para quem tem pressa:

  • O Senado criou uma comissão para dar mais um passo na discussão sobre avanços e salvaguardas da inteligência artificial (IA) no Brasil;
  • O principal objetivo da comissão é estabelecer diretrizes amplas para o desenvolvimento e uso responsável dessa tecnologia;
  • A primeira etapa das atividades da comissão será uma audiência pública com Prabhakar Raghavan, vice-presidente sênior do Google;
  • A comissão terá quatro meses para revisar e analisar o anteprojeto da Comissão de Juristas sobre Inteligência Artificial, apresentado no final de 2022.

O principal objetivo da comissão é estabelecer diretrizes amplas para o desenvolvimento e uso responsável de sistemas de inteligência artificial (IA). Isso visa garantir que os direitos fundamentais dos cidadãos sejam protegidos e que sistemas seguros sejam promovidos.

Sob a liderança do senador Carlos Viana (Podemos-MG), a comissão terá o senador (e astronauta) Marcos Pontes (PL-SP) como vice-presidente e o senador Eduardo Gomes (PL-TO) como relator, conforme divulgou a Agência Senado.

Trabalhos da comissão sobre IA

(Imagem: Freepik)

A comissão terá quatro meses para revisar e analisar o anteprojeto da Comissão de Juristas sobre Inteligência Artificial, apresentado no final de 2022.

A Comissão de Juristas já havia realizado debates com especialistas e representantes da sociedade civil, gerando propostas regulatórias e identificando desafios globais relacionados à IA.

A primeira etapa das atividades da CTIA será uma audiência pública com Prabhakar Raghavan, vice-presidente sênior do Google, uma das gigantes da tecnologia que recentemente lançou um chatbot de IA no Brasil, o Bard.

O Brasil segue os passos da União Europeia (UE) na busca por regulamentações sólidas para a IA. O Projeto de Lei 2338/2023 em discussão no país segue o modelo regulatório do AI Act, aprovado pelo Parlamento Europeu em maio de 2023.

Esse projeto de lei europeu preconiza a necessidade de supervisão humana, segurança, transparência e sustentabilidade no desenvolvimento e aplicação de tecnologias de IA.

O chefe da comissão, senador Carlos Viana, enfatizou a importância de encontrar um equilíbrio entre os benefícios e riscos da IA. Ele também destacou a responsabilidade das big techs em relação à utilização dessas tecnologias.

Esse aspecto também é central no PL 2338/23, que visa estabelecer a responsabilização das empresas no uso da inteligência artificial.

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore