fbpx

Google vs OpenAI: empresas terão mais um duelo envolvendo IA

Empresa têm visões diferentes sobre regulação da tecnologia nos EUA
Imagem: JRdes/Shutterstock

Informações dão conta de que Google e OpenAI, duas das principais empresas de IA (inteligência artificial), são antagônicas também quando se trata da regulação da tecnologia pelo governo dos EUA.

Nesta segunda (12), o Google enviou um texto em resposta à requisição da Administração Nacional de Telecomunicações e Informação sobre como considerar a responsabilidade sobre a IA em momento de rápido avanço da tecnologia, segundo o The Washington Post.

Guerra de ideias e ideologias

Enquanto Sam Altman, CEO da OpenAI, elogiou a ideia de uma agência ligada ao governo para cuidar da IA e lidar com suas complexidades e licenciamento da tecnologia, o Google, em seu documento, quer “abordagem multicamada e multistakeholder para a governança de IA”.

“Nacionalmente, apoiamos abordagem centralizada – com agência central, como o Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) informando os reguladores setoriais que supervisionam a implementação da IA – em vez de um ‘Departamento de IA’. A IA apresentará questões únicas em serviços financeiros, assistência médica e outras indústrias regulamentadas e áreas de emissão que se beneficiarão da experiência de reguladores com experiência nesses setores – o que funciona melhor do que nova agência reguladora promulgando e implementando regras upstream que não são adaptáveis aos diversos contextos em que a IA é implantada”.

Google, em documento

 

Google tem maioria

Outros no setor de IA, incluindo pesquisadores, expressaram opiniões semelhantes, dizendo que a regulamentação governamental da IA pode ser melhor maneira de proteger as comunidades marginalizadas – apesar do argumento da OpenAI de que a tecnologia está avançando rápido demais para tal abordagem.

“O problema que vejo com o modelo de regulamentação ‘FDA for AI’ [FDA para IA] é que ele postula que a IA precisa ser regulada separadamente de outras coisas. Concordo plenamente que os chamados sistemas de ‘IA’ não devem ser implantados sem algum tipo de processo de certificação primeiro. Mas esse processo deve depender da finalidade do sistema […] As agências reguladoras existentes devem manter sua jurisdição. E afirme isso”.

“Emily M. Bender, professora e diretora do Laboratório de Linguística Computacional da Universidade de Washington, em post no Twitter”.

Isso contrasta com a preferência da OpenAI e da Microsoft por modelo regulatório mais centralizado. O presidente da Microsoft, Brad Smith, disse que apoia nova agência governamental para regular a IA, e os fundadores da OpenAI, Altman, Greg Brockman e Ilya Sutskever, expressaram publicamente sua visão de regulamentar a IA de maneira semelhante à energia nuclear, sob órgão regulador global semelhante ao da Agência Internacional de Energia Atômica.

Os executivos da OpenAI escreveram em post que “qualquer esforço acima de certo limite de capacidade (ou recursos, como computação) precisará estar sujeito a autoridade internacional que pode inspecionar sistemas, exigir auditorias, testar a conformidade com os padrões de segurança [e] colocar restrições em graus de implantação e níveis de segurança.”

Em entrevista ao Post, o presidente de assuntos globais do Google, Kent Walker, disse que “não se opõe” à ideia de novo regulador para supervisionar o licenciamento de grandes modelos de linguagem, mas disse que o governo deveria olhar “mais holisticamente” para a tecnologia. E o NIST, disse ele, já está bem posicionado para assumir a liderança.

Os pontos de vista aparentemente opostos de Google e Microsoft sobre regulamentação indicam debate crescente no espaço da IA, que vai muito além de quanto a tecnologia deve ser regulamentada e sobre como a logística organizacional deve funcionar.

“Existe a questão de haver nova agência especificamente para IA ou não? Você deveria lidar com isso com as autoridades reguladoras existentes que trabalham em setores específicos ou deveria haver algo centralizado para todos os tipos de IA?”

Helen Toner, diretora do Centro de Segurança e Tecnologia Emergente de Georgetown, à CNBC

A Microsoft se recusou a comentar e a OpenAI não respondeu imediatamente ao pedido de comentário da CNBC.

Com informações de CNBC

Fonte: Rodrigo Mozelli / Olhar Digital

 

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore