fbpx

Governo do Estado define estratégias para participar do Plano Nova Indústria Brasil

Foto: Carol Costa / Fapesc

Santa Catarina está atenta aos recursos disponíveis no plano nacional de neoindustrialização Nova Indústria Brasil (NIB). Representantes de secretarias e órgãos de estado estiveram reunidos, nesta quinta-feira, 8, para a primeira reunião de um grupo de trabalho que está sendo organizado pela Secretaria de Estado da Fazenda. O objetivo é identificar as potencialidades e definir as estratégias para a captação dos recursos. Até 2026, serão destinados R$ 300 bilhões para financiamentos de projetos em todo o país. O encontro foi na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), em Florianópolis.

Conforme o anfitrião do encontro, presidente da Fapesc, Fábio Wagner Pinto, o objetivo é articular ações para impulsionar ainda mais o desenvolvimento estadual. “Reunimos diversos representantes do governo para desenhar o que pode ser atingido a curto prazo, entender como podemos encaixar nossos programas e também alocar recursos para acelerar o crescimento de Santa Catarina”, explicou o presidente.

O NIB está dividido em seis missões estratégicas: cadeias agroindustriais; saúde; bem-estar das pessoas nas cidades; transformação digital; bioeconomia, descarbonização e transição energética; e defesa. A nova política busca estimular o desenvolvimento produtivo e tecnológico, ampliar a competitividade da indústria brasileira, promover melhores empregos e impulsionar a presença qualificada do país no mercado internacional.

“Realizamos a nossa primeira reunião, com o objetivo de organizar vários setores econômico de Santa Catarina, da indústria, do comércio, da mobilidade, entre outros, para captarmos recursos e projetos importantes, que vão tornar o estado de Santa Catarina mais competitivo, diante do Brasil e também no exterior”, afirmou o secretário da Indústria, Comércio e Serviço (Sicos), Silvio Dreveck.

“Fizemos uma reunião muito importante, com as mais variadas secretarias, pensando em buscar recursos do governo federal para que a gente possa pensar a Santa Catarina do futuro”, completou Ricardo Guidi, secretário Secretaria do Meio Ambiente e da Economia Verde (Semae).

Plano de neoindustrialização abrange diferentes áreas do conhecimento

Durante o encontro, foram definidas quais secretarias irão liderar as análises detalhadas de cada uma das missões do plano de neoindustrialização, além da discussão sobre o cronograma de trabalho. “As missões são transversais, ou seja, elas envolvem várias áreas do conhecimento. Hoje, nesta primeira reunião, elegemos representantes para cada uma destas missões, para trabalhar no detalhamento de cada um desses planos”, afirmou Fábio Wagner Pinto.

“Gostaria de parabenizar a Fapesc pela organização deste primeiro encontro em um programa que é fundamental para o desenvolvimento estadual”, destacou o secretário adjunto da Secretaria do Planejamento (Seplan), Lucas Amancio.

“O governo Jorginho aproveita o conhecimento de todas as suas áreas, reunindo os secretários e os principais líderes, para repensar como o estado deve atuar nesse movimento de neoindustrialização, fazendo com que a indústria catarinense fique mais competitiva e que todo o ecossistema também se fortaleça”, disse o presidente da SCPar, Renato Lacerda.

“Quero enfatizar a relevância dessa reunião, com a união entre todos os atores do governo. Todos trabalhando e unidos em prol de um único objetivo que é a captação de recursos para áreas prioritárias do nosso estado de Santa Catarina”, afirmou o presidente do Sapiens Parque, Eduardo Cordeiro Vieira.

“Saímos daqui com uma reunião muito produtiva. É importante a busca de recursos para o estado de Santa Catarina, especialmente na área da indústria”, acrescentou o presidente da Junta Comercial do Estado (Jucesc), Fernando Baldissera.

Os R$ 300 bilhões disponíveis para financiamento até 2026 serão geridos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). Os valores serão repassados por meio de linhas de crédito especiais, recursos não-reembolsáveis, ações regulatórias e de propriedade intelectual, além de uma política de obras e compras públicas, com incentivos ao conteúdo local, para estimular o setor produtivo em favor do desenvolvimento do país.

Estiveram reunidos com o presidente da Fapesc, o secretário da Indústria, do Comércio e do Serviço (Sicos), Silvio Dreveck; o secretário Secretaria do Meio Ambiente e da Economia Verde (Semae), Ricardo Guidi; os presidentes da SCPar, do Sapiens Parque e da Junta Comercial do Estado (Jucesc), Renato Lacerda, Eduardo Cordeiro Vieira, Fernando Baldissera, respectivamente. Também participaram o secretário-adjunto da Secretaria do Planejamento (Seplan) Lucas Amancio; o chefe de gabinete da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SCTI), Murilo Mafra; o diretor da Secretaria da Indústria, do Comércio e do Serviço (Sicos), Fabiano Ceretta; e os representantes do Instituto do Meio Ambiente (IMA), a chefe de gabinete, Amanda Silveira; e o diretor de controle ambiental, Fábio Castagna da Silva.

Conheça a missões do NIB

  • Missão 1 – Cadeias agroindustriais sustentáveis e digitais para a segurança alimentar, nutricional e energética
  • Missão 2 – Complexo econômico industrial da saúde resiliente para reduzir as vulnerabilidades do SUS e ampliar o acesso à saúde
  • Missão 3 – Infraestrutura, saneamento, moradia e mobilidade sustentável para a integração produtiva e o bem-estar nas cidades
  • Missão 4 – Transformação digital da indústria para ampliar a produtividade
  • Missão 5 – Bioeconomia, descarbonização e transição e segurança energéticas para garantir os recursos para as gerações futuras
  • Missão 6 – Tecnologias de interesse para a soberania e defesa nacionais
Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore