fbpx

Remédio retarda avanço do Alzheimer em 60%

O remédio contra o Alzheimer da farmacêutica Eli Lilly é um anticorpo projetado para eliminar uma substância chamada beta-amilóide
Imagem: DedMityay / Shutterstock.com

Uma droga experimental se mostrou capaz de retardar a progressão do Alzheimer em 60% para pacientes nos estágios iniciais da doença. Os resultados foram publicados nesta segunda-feira (17) na revista científica Journal of the American Medical Association (Jama).

Como age o medicamento

  • O remédio donanemab, da farmacêutica Eli Lilly, é um anticorpo projetado para eliminar uma substância chamada beta-amilóide.
  • A amilóide se acumula nos espaços entre as células cerebrais, formando placas que são características da doença de Alzheimer.
  • Os testes do ensaio clínico foram realizados com 1.736 pacientes com Alzheimer leve, de 60 a 85 anos.
  • A droga conseguiu retardar a progressão da doença em 60% dos casos verificados.
  • Quanto mais velhos os pacientes e mais avançado o nível do Alzheimer, menor o efeito do medicamento.
  • Segundo os pesquisadores, o inchaço cerebral foi um dos efeitos colaterais comuns, sendo identificado em até um terço dos pacientes.
  • Na maioria dos casos, o problema foi resolvido sem causar sintomas, mas três voluntários morreram devido ao inchaço.
  • Metade dos pacientes interrompeu o tratamento após um ano em decorrência da eliminação dos depósitos cerebrais da beta-amilóide.
  • Os participantes do estudo, que durou 18 meses, também tiveram um risco 39% menor de progredir para o próximo estágio clínico da doença.

Uso da tecnologia contra o Alzheimer

  • A droga fez parte de um modelo de computador inédito simulou de forma bem sucedida um ensaio clínico que avalia a eficácia de tratamentos para a doença de Alzheimer.
  • Usando dados clínicos e de biomarcadores, os pesquisadores construíram um modelo computacional causal para realizar ensaios virtuais sobre o tratamento aprovado pela agência reguladora norte-americana FDA, chamado aducanumab, bem como da donanemab.
  • Confira mais informações sobre o assunto clicando aqui.

Sem previsão de liberação

  • A Food and Drug Administration (FDA), agência regulatória dos EUA deve decidir até o final do ano se aprova o donanemab.
  • A farmacêutica disse que as submissões a outros reguladores globais estão em andamento e a maioria será concluída até o final do ano.
  • A Eli Lilly ainda não tem previsão de submeter pedido de aprovação da droga contra o Alzheimer para a Anvisa.

Com informações de G1.

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore