fbpx

Secretaria de CT&I projeta ampliação da Rede de Centros de Inovação em Santa Catarina

Para o Head de Inovação da pasta, Felipe Mandawalli, Araranguá (Sul) e São Miguel do Oeste devem ser as próximas a entrar na rede, que espera ter 21 centros até 2026. Para este ano, estimativa é que a rede gere faturamento de R$ 1,2 bilhão.

Foto: Divulgação(Perini Business Park)

Rede Catarinense de Centros de Inovação, projeto iniciado pelo Governo do Estado há quase 10 anos e que conta com 15 empreendimentos – dos quais 9 já em operação, três em implantação e outros três ainda em fase de obras (ver status no site da Rede) – projeta um faturamento de R$ 1,2 bilhão em 2023 e a expansão para 21 centros até 2026.

“Queremos ter um Centro para cada microrregião de Santa Catarina”, explica Felipe Mandawalli, Head de Inovação da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Santa Catarina, pasta criada no início deste ano pelo governo estadual. Ao SC Inova, Felipe antecipou que Araranguá (Sul) e São Miguel do Oeste (extremo-Oeste) devem ser as próximas a integrar o projeto dos Centros. “Todas as regiões estão sendo mapeadas e farão parte de um planejamento de ampliação e consolidação da rede”, comenta. 

Estão em operação os centros nas cidades de Florianópolis, Joinville (ambos privados), Blumenau, Chapecó, Lages, Jaraguá do Sul, Videira, Caçador.  Segundo Felipe, há a perspectiva dos centros de Tubarão e Itajaí serem inaugurados ainda em 2023 – ainda estão em fase de projeto/construção os de Criciúma, São Bento do Sul, Rio do Sul e Brusque. 

Os dados de faturamento dos Centros foram coletados pelos agentes de inovação que trabalham nos empreendimentos, financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), e elaboram junto os gestores um mapeamento com dados contábeis, dentro de uma metodologia de estruturação de dados elaborada pela SCTI. 

“Uma estrutura como o centro de inovação é fundamental para impulsionar o desenvolvimento econômico regional porque em grande parte do nosso território o modelo econômico é o tradicional, seja ele de indústria ou comércio”, avalia Nelson Netto, gestor do Centro de Inovação Novale, de Jaraguá do Sul. Um espaço como este estimula a criação de novos negócios, o desenvolvimento de novos produtos, diversificando a base da econômica e reduzindo a dependência aos setores tradicionais, suscetíveis a flutuações”. 

A expansão e os resultados obtidos com a Rede de Centros será um tour-de-force para a Secretaria durante os três dias do Startup Summit 2023, que começa nesta quarta (23), em Florianópolis para cerca de 10 mil pessoas. “Estamos criando ações para fortalecer os centros e torná-los celeiros de inovação em suas regiões. Fazem parte da estratégia para acelerar o desenvolvimento do estado pela rota do conhecimento e da inovação”, destaca Marcelo Fett, secretário Estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação. Além de exibição de vídeos haverá espaço para apresentações de pitches e aproximação com público no evento, que termina sexta-feira (25), no CentroSul.

Fonte: Redação SC Inova, scinova@scinova.com.br 

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore