fbpx

CRIO

Centro de Inovação, espaço passa a ser tratado como marco para o empreendedorismo regional

Local com mais de 7 mil m² 

O prédio que receberá o Centro de Inovação Regional de Criciúma (CRIO) passou por inspeção na manhã desta quinta-feira, dia 24. Localizado na rua Araranguá, no Centro da cidade, o espaço cedido pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) conta com 7,1 mil metros quadrados e o prazo para conclusão da obra é agosto deste ano. 

O estado de Santa Catarina possui atualmente nove Centros de Inovação em operação. Mas este número vai aumentar em um futuro próximo, já que há mais três em construção – um deles em Criciúma – e outros três em fase de projeto. Presente na inspeção da manhã de hoje, o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovações do Governo do Estado de Santa Catarina, Moris Cleber Kohl, planeja o desenvolvimento regional a partir do novo espaço.

“O Centro de Inovação gera empregos e oportunidades, gera demanda, conecta o governo com as universidades, entidades e com a classe empreendedora. Aquele que quer sair do zero pode vir aqui que vai ser atendido e ter todas as suas demandas encaminhadas”, avalia o diretor em entrevista ao Portal Engeplus.

A reforma do prédio custa R$ 8 milhões com recursos repassados pelo Governo do Estado em 2019. As obras iniciaram em agosto do ano passado e em novembro foi apresentada a marca e o nome do espaço, que passou a se chamar CRIO. O processo de criação foi coordenado pela empresa SDI Comunica. 

O Centro de Inovação de Criciúma, por meio do Comitê de Implantação do CI, promoveu etapas de planejamento, com o envolvimento da tríplice hélice. Nesta etapa, muitas ações surgiram, entre elas, a necessidade de “mapeamento das potencialidades da região e definição de verticais de atuação”.

Programas de Projetos

Foram criados Grupos de Trabalho, com funções distintas, como GT Financeiro, GT Jurídico, GT Comercial e GT de Comunicação. Estes GTs têm suas lideranças definidas por membros do Comitê, e na sua constituição, representantes de empresas do ecossistema. Na etapa de planejamento, 2019/2010, ações foram iniciadas e estão sendo gerenciadas por uma gerente de projetos. Algumas ações, devido a pandemia, terão seus prazos revisados.

Temos no ecossistema, e em instituições que integram o Comitê, ambientes de inovação, como coworking, na Plural, Satc e Unesc e Laboratório Aberto no SENAI. Não são ações do CI, mas que apoiam e promovem o desenvolvimento do ecossistema de inovação. A grande parte destas subfunções, com diversos produtos e serviços, já são oferecidos de formas isoladas no ecossistema regional.
Temos o Programa Nascer, pré-incubadora que iniciará na ACIC.

Caberá ao CI articular todas estas subfunções para ganhar tração, força e vigor. As instituições que compõem estão representadas no Comitê de Implantação do CI fazer ações de forma descentralizadas.

Relacionados
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore