fbpx

Como saber se boleto é falso ou verdadeiro?

Criminosos utilizam vírus sofisticados para alterar as informações de pagamento e apelam para o medo das vítimas; saiba mais
Imagem: Brenda Rocha - Blossom/Shutterstock

A democratização de acesso à internet trouxe muitos benefícios à sociedade, mas com eles também vieram novas estratégias para aplicar golpes em pessoas desavisadas e extrair o máximo de dinheiro possível dessas vítimas. Dentre as estratégias mais comuns para extorquir usuários online, enviar um boleto falso é uma das favoritas dos golpistas. Por isso, separamos algumas informações para ajudá-los a verificar se um boleto é falso ou verdadeiro. Veja mais a seguir.

Como os criminosos criam os boletos?

Imagem: Brenda Rocha – Blossom/Shutterstock

De forma geral, há duas principais estratégias: o envio de boletos falsos por e-mail ou a utilização de cavalos de troia para modificar os códigos da cobrança direto do seu computador.

No primeiro caso, geralmente, os hackers já têm acesso às informações sensíveis da vítima (como endereço, CPF, nome completo, e dívidas que se encontram em aberto), então, só precisam convencê-la a pagar um valor. O golpe acontece assim: é enviado um boleto de cobrança para o e-mail e um texto informando sobre a urgência do pagamento. Os criminosos convencem a vítima de que o não pagamento da dívida irá acarretar consequências jurídicas, e por estarem com medo, realizam o pagamento.

Já no segundo caso, há mais sofisticação na estratégia utilizada: os hackers depositam cavalos de troia em um arquivo, e quando este arquivo é baixado no computador, o trojan se instala automaticamente. Junto deste malware, há um conjunto específico de vírus que infectam a máquina para roubar e manipular informações.

Este vírus, então, fica em espera: assim que o usuário baixar ou imprimir um boleto, esse movimento é detectado e o malware altera, automaticamente, as informações de pagamento da fatura. Assim, quando você efetuar o pagamento, o dinheiro será enviado para o hacker e a sua dívida continuará em aberto com a operadora de cobrança.

Imagem: lilgrapher/Shutterstock

Para evitar situações como essa, vale adquirir os seguintes hábitos:

  • Instalar um bom antivírus no PC;
  • Usar o antivírus para varrer qualquer arquivo salvo;
  • Fazer varreduras periódicas com o antivírus;
  • Usar extensão do antivírus no navegador para impedir o acesso a sites contaminados;
  • Tomar cuidado ao baixar qualquer arquivo online, pois podem conter vírus.

No caso do e-mail, é imprescindível verificar se há alguma dívida em aberto antes de pagar qualquer boleto recebido pelo correio eletrônico. Além disso, é sempre válido verificar se o endereço de e-mail corresponde a um endereço oficial da empresa, analisar se há erros de português nos campos do e-mail, e analisar os elementos visuais do texto.

Como verificar se um boleto é falso ou verdadeiro?

Reprodução: Simplifica Mais
  • Conheça os números da operadora: muitas empresas que fornecem serviços e enviam os boletos aos usuários já disponibilizam, publicamente, como verificar se um boleto deles é verdadeiro. Por exemplo, se a empresa diz que seus boletos começam com “08546”, então qualquer boleto recebido com uma numeração diferente, mas que alega ser da mesma empresa, pode ser considerado como falso;
  • Verifique os dados da empresa: durante o pagamento de um boleto por via eletrônica (como pelos apps de banco no celular), as informações dos credores ficarão disponíveis. Portanto, se o pagamento deve ir para uma empresa X, mas as informações sugerem uma empresa Y, desconfie. Sempre confirme os dados do destino do pagamento, como razão social da empresa, CNPJ, e até se o valor e a data de vencimento estão corretos;
  • Esteja atento a mudanças no design: verifique se o logo da empresa e demais informações visuais estão de acordo com a identidade visual da marca;
  • Examine se o valor do boleto corresponde ao serviço cobrado: em se tratando de faturas de cartão de crédito, por exemplo, os aplicativos de banco sempre disponibilizam um acesso que permite ao usuário visualizar o histórico de todas as faturas já emitidas. Então, analise se o valor do boleto bate com a descrição do banco e se os números do boleto estão iguais aqueles expressos no app do banco;
  • Preste atenção ao código de barras: arquivos digitais não devem apresentar problemas no código de barras, dessa forma, se o leitor não consegue identificar o pagamento por ele, desconfie;
  • Procure por erros ortográficos no boleto;
  • Se o app de um banco não conseguir ler o código numérico ou código de barras, é um sinal de alerta.

Fonte: Olhar Digital / Por Wagner Edwards, editado por Bruno Ignacio de Lima 

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital

Adicione o texto do seu título aqui

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore