fbpx

Inovação no Sul: Curitiba e Porto Alegre recebem eventos-referência em cidades inteligentes e empreendedorismo

Entre 20 e 22 de março, as capitais paranaense e gaúcha estarão no centro de debates sobre empreendedorismo inovador e o futuro das cidades. O SC Inova trará conteúdos especiais de ambos os eventos

Fotos: Divulgação

As duas maiores capitais do Sul vão disputar nesta semana as atenções do ambiente de inovação e tecnologia do país – ainda que com eventos para públicos distintos. 

De quarta a sexta, a capital paranaense espera receber um público de mais de 15 mil pessoas para mais uma edição do Smart City Expo Curitiba, evento-referência no desenvolvimento de cidades inteligentes, tecnologia, urbanismo e políticas públicas. Sob o lema “Reinventando cidades para todos”, o SCEC traz palestras e debates com especialistas, pesquisadores e gestores públicos internacionais, como o artista e muralista brasileiro Eduardo Kobra; Santiago Uribe (Colômbia); Lívia Schaeffer, especialista em tecnologia na UN-Habitat; Juan Felipe Penagos, diretor de competitividade do Governo de Bogotá (Colômbia); e Jaime Pilowsky, gerente geral de desenvolvimento corporativo de Santiago (Chile). 

Nos mesmos dias, os armazéns do Cais Mauá, em Porto Alegre (RS), recebem comitivas de todo o país para a terceira edição do South Summit Brazil, que espera atrair um público superior a 20 mil pessoas em um dos cartões-postais da capital gaúcha. Como keynotes, confirmaram presença o CEO do Waze, Uri Levine; o autor e consultor britânico John Elkington, referência em sustentabilidade); além de lideranças de grandes empresas de tecnologia do país. Entre as novidades, está uma ampliação da área útil (serão 38 mil m² neste ano) e mais áreas cobertas e assentos no espaço dos paineis. No ano passado, o South Summit BR recebeu participantes de 50 países, 3 mil startups e mais de 100 fundos de investimentos.  

Ao longo desta semana, o SC Inova vai levar aos leitores uma cobertura especial com destaques de cada um dos eventos que acontecem nos estados vizinhos.  

ESTRATÉGIAS DE CONSOLIDAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS

Os dois eventos mostram as diferentes estratégias que as cidades sulistas estão adotando para se fortalecerem como hubs de inovação e tecnologia no cenário brasileiro e latinoamericano: Curitiba, a capital ecológica, vem de uma expressiva conquista no Smart City Expo global, que acontece anualmente em Barcelona (ESP), ao ser eleita a “cidade mais inteligente” do mundo na edição de 2023 (leia mais aqui).

Smart City Expo Curitiba ajuda a cidade a consolidar sua vocação para o planejamento urbano sob o viés de inovação e de cidades inteligentes. Foto: SC Inova (2023)

Seu histórico no planejamento urbano e nas soluções de mobilidade são uma credencial e tanto para seguir nessa especialização enquanto um ecossistema inovador (nesta mesma semana, a cidade está organizando um Festival de Inovação espalhado por bares e restaurantes, além de anunciar novos hubs empreendedores). Um dos destaques do evento é a premiação inédita para os melhores projetos brasileiros de cidades inteligentes – foram inscritos cerca de 300 projetos das cinco regiões do Brasil, de organizações públicas e não-governamentais, empresas e empreendedores, centros de inovação e pesquisa, além de consórcios público-privados . 

Já Porto Alegre aposta na retomada de seu potencial histórico como referência econômica do Cone Sul e investe no evento com um importante apoio do setor público estadual – somente no espaço RS Innovation Stage, espaço dedicado à programação do governo do Estado, estão previstos 44 painéis e 162 palestrantes.

Visão aérea do Cais Mauá, em Porto Alegre, onde acontece o South Summit Brazil.

O momento é também estratégico para players locais, como o Instituto Caldeira, um hub de inovação referência que agregou boa parte do PIB gaúcho interessado em se conectar com o universo de tecnologia e startups – aproveitando a mobilização em torno do South Summit, o Caldeira anunciou nesta segunda (18) uma expansão que vai mais que dobrar a área útil do hub (de 22 mil m2 para 55 mil m2) com um investimento total de R$ 120 milhões. 

Por isso, a realização de ambos os eventos na mesma data é um “tiro no pé” nos esforços de ambas as regiões para se tornarem um corredor de negócios e de atração de capital para o sul do país (como o SC Inova já abordou aqui). Uma coordenação mais efetiva entre as cidades seria muito mais construtiva e oportuna para ambos os ecossistemas – e Santa Catarina, por ficar no meio do caminho, deveria buscar uma estratégia conjunta para fortalecer esse cenário inovador que o Sul tenta desenhar.

Fonte: Por Fabrício Umpierres, editor – scinova@scinova.com.br 

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital

No Brasil, os investimentos no último ano totalizaram 455 negócios e um volume aportado de US$ 1,9 bilhão. Com base nesses dados, o país representou 61,2% dos investimentos na região latino-americana em termos de quantidade de negócios.

Ao considerar as 455 rodadas mapeadas, o número indica uma redução de 51,1% no volume de deals em comparação com o ano anterior. Em termos financeiros, o último ano também apresenta uma diminuição significativa de 56,8%.

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore