fbpx

Laboratório de “carne cultivada” da JBS inicia obras no Sapiens Parque, em Florianópolis

Primeiro centro de pesquisa e desenvolvimento de proteína cultivada do país, que terá investimento total de R$ 310 milhões, deve ter primeira fase entregue até o final de 2024 no parque tecnológico do Norte da Ilha.

sapiens_aerea_capa_fotoBrunoBerretta
Bruno Beretta (Secom)

Um ano e meio após o anúncio de um projeto com investimento superior a R$ 300 milhões em Florianópolis, a JBS – maior companhia global de proteínas e líder em produção de alimentos – anunciou nesta semana o início das obras de seu Biotech Innovation Center, que está sendo construído no Sapiens Parque, no norte da Ilha. 

Será o primeiro centro de pesquisa, desenvolvimento e inovação em carne cultivada no Brasil, com previsão de inauguração no final de 2024. Nesse primeiro momento, as instalações irão ocupar uma área inicial de 10 mil m2, com possibilidade de expansão para futuros projetos da JBS – o investimento nas primeiras fases será em torno de R$ 100 milhões em obras e equipamentos, incluindo implantação de laboratórios e planta-piloto. Em uma terceira etapa do projeto, a JBS prevê a construção de um módulo em escala industrial para a fase de viabilidade técnico-econômica da proteína cultivada.

Em entrevista exclusiva para a revista SC Inova, o pós-doutor em Engenharia Biomédica, Biológica e de Biomateriais e presidente do JBS Biotech Innovation Center, Luismar Porto, afirmou que a capital catarinense foi escolhida por algumas “condições particulares”: “além da cidade ser um polo de inovação, o Sapiens conta com algumas empresas que desenvolveram biotecnologias avançadas, como a Biomehub e a Neoprospecta. Havia a opção de montar este centro em outras regiões, mas aqui a tecnologia de alimentos criativa encontra amparo legal”. 

Ao lado dele, está a vice-presidente Fernanda Vieira Berti, engenheira química que também mescla experiência de academia e mercado: é pós-doutora na área de Biomateriais, Biodegradáveis e Biomimética e foi cofundadora de startup em San Francisco (EUA) focada no desenvolvimento de produtos baseados em células-tronco para a regeneração de tecidos animais. 

JBS Biotech Innovation Center é liderado pelo presidente Luismar Porto e a vice-presidente Fernanda Berti, que mesclam experiência com pesquisa aplicada e mercado. Foto: Divulgação JBS

A equipe começou a trabalhar no projeto ainda em 2022, com instalações provisórias no Instituto da Indústria, também localizado no Sapiens. O foco inicial dos estudos foi com pesquisas exploratórias sobre as células das espécies bovinas, para entender como avançar na produção da proteína cultivada. Em outro movimento, a JBS adquiriu 51% da espanhola Biotech Foods, uma das líderes na fabricação da “carne cultivada” na Europa e que opera uma planta-piloto na cidade basca de San Sebastián. 

No médio e longo prazo, o projeto do JBS Biotech Innovation Center espera ser um estímulo para pesquisadores brasileiros voltarem ao país. “Queremos iniciar um movimento de repatriação de pós-doutores que não encontraram espaço no Brasil. Já trouxemos profissionais de Cingapura, Portugal, Estados Unidos e estamos com vagas abertas. Trata-se do desenvolvimento de uma tecnologia 100% nacional a partir do zero”, ressalta Luismar. A estimativa é que pelo menos 25 pós-doutores, além de equipe administrativa, atue no centro de Inovação do Sapiens ao longo da primeira fase do projeto. 

Fonte: Redação SC Inova, com informações de agências

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore