fbpx

Laticínios Holandês conquista adesão ao Sisbi e amplia potencial de mercado

Foto: Denise De Rocchi/Cidasc

A empresa Laticínios Holandês, instalada no município de Biguaçu, conquistou o selo do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi) e poderá comercializar seus produtos para outros estados. A agroindústria, registrada com a razão social Papenborg Indústria de Laticínios, recebeu o certificado nesta quarta-feira, 2, da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). 

A certificação foi entregue pela presidente da Cidasc, Celles Regina de Matos, aos proprietários Johannes, Mário e Paulo Papenborg. A presidente destacou o pioneirismo da empresa, que foi a segunda agroindústria no Estado a se inscrever no Serviço de Inspeção Estadual e a primeira do segmento lácteo.

“Ela marca mais uma vez a história ao se tornar uma empresa Sisbi, alçando vôos maiores, vendendo para todo o Brasil. Isto é uma mostra clara de uma empresa que cresceu e evoluiu junto com o trabalho do governo e essa é a proposta da Cidasc dentro do serviço de inspeção: trazer saúde pública para as pessoas que consomem produtos de origem animal, mas junto trazer o crescimento para este empreendedor e a todos que trabalham direta ou indiretamente com ele”, declarou a presidente Celles de Matos. 

A fábrica de Laticínios Holandês conta com 115 funcionários e uma rede de 400 pequenos produtores de toda a Santa Catarina, que, mais do que fornecedores, são verdadeiros amigos, parceiros que trabalham juntos para produzir um leite de qualidade visando a sustentabilidade, responsabilidade social e ambiental. 

O empresário Paulo Papenborg e seus irmãos, Johannes e Mário. Foto: Denise De Rocchi/Cidasc

Mário Papenborg, um dos sócios, manifestou seu contentamento em poder comercializar para outros estados e trazer divisas para Santa Catarina. “A ideia agora é ingressar no mercado de Curitiba, que é a capital mais próxima, e depois buscarmos mercados em outras cidades do Paraná e Rio Grande do Sul, para posteriormente ingressarmos em outros mercados, como o paulista.” 

Outro dos três sócios, Paulo Papenborg, relembrou o legado dos pais, Johannes e Maria Frederika, que deram início à produção leiteira na década de 1950. Segundo ele, o aprimoramento da empresa sempre fez parte dos planos. “Sempre sonhamos com o melhor. Nosso investimento foi grande no campo, no cuidado com os animais, mas investimos também na indústria, com engenharia de alimentos e consultorias diversas”, contou o empresário.

A nova geração da família trabalha no negócio e se envolveu na implementação das melhorias. Neta dos fundadores, Amanda Papenborg pediu a palavra para destacar o empenho de todos os colaboradores na conquista do SISBI, inspirados no exemplo dos fundadores. Ela ainda agradeceu os apontamentos feitos pela equipe da Cidasc durante o processo de adesão, que foram interpretados como mais um estímulo para fazer um trabalho de excelência. 

O prefeito de Biguaçu, Salmir da Silva, e seu vice, Alexandre Martins de Souza, prestigiaram a entrega do certificado do Sisbi. Salmir da Silva destacou a qualidade dos produtos da empresa e colocou a prefeitura à disposição do laticínio e de outras agroindústrias que queiram expandir seus negócios, projetando o município e fomentando seu crescimento. 

O diretor executivo e assessor jurídico da Associação Catarinense dos Estabelecimentos Aderidos ao Sisbi (Acesisbi), Alípio Egídio Küllkamp, fez parte da mesa de honra e elogiou o trabalho dos técnicos da Cidasc e os canais de diálogo abertos com as empresas. 

Foto: Denise De Rocchi/Cidasc

Também compuseram a mesa a médica veterinária habilitada, Kamila Durante e o gestor do Departamento Estadual de Inspeção (Deinp), Jader Nones. A solenidade foi testemunhada ainda pelo gestor do Departamento Regional da Cidasc de Itajaí, Cleverson Fiamoncini Cordeiro; pela médica veterinária responsável pelo Sisbi da Cidasc de Itajaí, Daisy Brodbeck Mendita Cordeiro; a médica veterinária da Regional da Cidasc de Itajaí, Greyce Kelly Schmitt; colaboradores da empresa, imprensa, convidados e familiares. 

Para a adesão ao Sisbi as indústrias devem se adequar às normas e atenderem aos requisitos do sistema, coordenado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Todo o processo produtivo necessita de programas de autocontrole, que devem abranger todas as fases de produção, incluindo desde o recebimento da matéria-prima até a expedição final.

O gestor do Departamento Estadual de Inspeção (Deinp), Jader Nones, destaca que os procedimentos e normas vigentes no Sistema de Inspeção Estadual e no Sisbi são bastante semelhantes. “É preciso algumas adequações e a implementação de um procedimento específico, que é a análise de perigos e pontos críticos de controle. Após isto, a empresa pode requerer a adesão e passar pela auditoria para obter o registro”, explica o gestor. 

Foto: Denise De Rocchi

Sobre a empresa: Papenborg Indústria de Laticínios – o Laticínios Holandês

Em 1953, Johannes Bernardus Egberhis Papenborg e sua esposa Maria Frederika Krabben deixaram a miséria que assolava a Holanda no pós-guerra e vieram para o Brasil em busca das oportunidades que o novo mundo prometia. Chegaram à Holambra, cidade fundada por imigrantes holandeses no interior de São Paulo, que é hoje o principal polo de plantas ornamentais do país, e ali trabalharam no cultivo com plantas por seis anos.

Contudo, o empreendedor Papenborg queria mais. Em 1959, o casal veio para Santa Catarina, junto com outras doze famílias holandesas onde juntos fundaram a colônia agrícola Aderbal Ramos da Silva, em Tijuquinhas (atualmente, Biguaçu). na nova propriedade, Papenborg investiu no cultivo de milho, mas as enchentes destruíram suas duas primeiras lavouras. mesmo assim, não esmoreceu como a maioria dos outros imigrantes, que abandonaram o local.

Em uma tarde de 1975, os filhos do casal tomavam o iogurte caseiro preparado pela mãe, quando o empresário de uma importante loja de produtos naturais da capital passou pela fazenda e pediu para experimentar o tal iogurte. Ele ficou encantado com o sabor e a qualidade da iguaria e encomendou galões do produto, que fez enorme sucesso.

Na casa da família, que fica na estrada de Governador Celso Ramos, foi criada uma pequena loja, onde os turistas que visitavam a região encontravam (e ainda encontram) iogurtes, queijos e outros derivados frescos. Ali também ficava a pequena indústria familiar que vendia produtos de porta em porta. o marketing boca a boca foi tanto que as vendas foram se profissionalizando e a pequena fábrica familiar se tornou uma grande indústria, sem nunca perder a qualidade, o sabor e as características saudáveis dos produtos caseiros, com a segurança das mais novas tecnologias.

Sobre o SISBI/POA

O Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi/POA) visa padronizar e harmonizar os procedimentos de inspeção de produtos de origem animal, visando garantir a inocuidade dos alimentos e a manutenção da saúde pública.

O sistema possibilita a equivalência dos serviços de inspeção dos Estados, Municípios e de consórcios públicos intermunicipais com o Serviço de Inspeção Federal (SIF). Esta equivalência dos serviços de inspeção promove a saúde pública, o combate à clandestinidade, a segurança e qualidade dos alimentos de origem animal, bem como contribui para o fortalecimento e desenvolvimento do setor agropecuário catarinense.

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore