fbpx

Nvidia e IA: boom em ações preocupa e poderia ser igual à bolha da internet

Hype com IA fez ações da Nvidia e outras empresas tech decolarem. Porém, especialistas se preocupam com possível bolha especulativa
Imagem: Blue Planet Studio/Shutterstock

A ascensão da inteligência artificial levou a uma onda de otimismo no mercado de ações, com destaque para a Nvidia, uma importante fabricante de chips gráficos, cujas ações quase triplicaram em 2023. Enquanto isso, o Nasdaq-100 registrou um aumento de 37% e o S&P 500 teve um ganho de 16%. No entanto, especialistas já alertam que podemos estar vendo uma potencial bolha especulativa, similar à “bolha da internet” ou “bolha dot-com”, entre os anos 90 e início dos anos 2000.

A explosão na cotação da Nvidia, agora a quinta maior empresa dos EUA em valor de mercado, tem sido interpretada por alguns investidores como uma mania especulativa. Essa tendência no mercado coloca investidores comuns à mercê da trajetória da empresa, independentemente de suas crenças no potencial da IA.

Nvidia e IA podem protagonizar nova bolha especulativa

Kai Wu, fundador e CIO da Sparkline Capital, expressou preocupações sobre a euforia em torno da IA em entrevista ao Wall Street Journal. “Há um enorme boom de IA. Alguns estão tentando se expor a qualquer custo (no mercado de ações), enquanto outros alertam que isso pode terminar mal”, disse.

A Nvidia, principal produtora de semicondutores para sistemas de IA, projetou um recorde de $11 bilhões em vendas para o último trimestre, superando as expectativas. Grandes empresas de tecnologia, como a Meta Platforms e Amazon, que têm desenvolvido modelos de IA, viram suas ações subirem 151% e 65%, respectivamente, em 2023. A Microsoft, por sua vez, investiu bilhões no chatbot da OpenAI, o ChatGPT, com suas ações subindo 34%.

Apesar do entusiasmo, há preocupações quanto à concentração do mercado. Os 10 maiores papéis do S&P 500 agora representam mais de um terço do mercado. “A história do mercado que mais se assemelha à bolha da internet é a concentração de liderança”, afirmou Mike Edwards da Weiss Multi-Strategy Advisers ao WSJ.

(Imagem: Robert Galbraith/Reuters)

Por fim, Edwards apontou que o cenário atual, ainda que similar a bolha dot-com, traz uma diferença fundamental: as empresas beneficiadas pela IA já estavam em destaque este ano. Eles são gigantes com forte presença no mercado e vastos conjuntos de dados para explorar, não novos nomes.

O que foi a bolha da internet, ou bolha dot-com?

A bolha dot-com, também conhecida como bolha da internet, refere-se a um período de especulação excessiva que ocorreu entre os anos de 1995 a 2001, principalmente nos Estados Unidos, envolvendo ações de empresas relacionadas à internet. Aqui está um resumo dos principais eventos e características dessa bolha:

  1. Nascimento da Web: No início da década de 1990, a World Wide Web foi lançada ao público, e a internet rapidamente ganhou popularidade. Isso levou ao surgimento de muitas novas empresas, chamadas “ponto com”, que operavam primariamente online.
  2. Investimento Especulativo: Muitos investidores e capitalistas de risco começaram a ver potencial nas empresas dot-com, acreditando que a internet era o futuro dos negócios. Assim, grandes somas de dinheiro foram investidas em startups com planos de negócios pouco claros e, em muitos casos, sem nenhuma perspectiva de lucro a curto prazo.
  3. Ações em Alta: As ações dessas empresas novatas, muitas das quais ainda não geravam lucro, dispararam na NASDAQ, a bolsa de valores norte-americana que lista muitas empresas de tecnologia. Foi uma época de ofertas públicas iniciais (IPOs) que frequentemente viam os preços das ações subir exponencialmente no primeiro dia de negociação.
  4. Atmosfera Eufórica: O ambiente era de euforia. Muitas pessoas acreditavam que as regras tradicionais dos negócios não se aplicavam ao setor de tecnologia e que a internet havia alterado fundamentalmente o cenário econômico.
  5. Estouro da Bolha: A bolha estourou entre 2000 e 2001. Muitas empresas dot-com faliram ou enfrentaram graves dificuldades financeiras. A NASDAQ, que havia atingido seu pico em março de 2000 com mais de 5.000 pontos, caiu para cerca de 1.000 pontos em 2002.
  6. Causas do Estouro: Vários fatores contribuíram para o estouro da bolha, incluindo saturação de mercado, aumento das taxas de juros pelo Federal Reserve (o banco central dos EUA) e uma realização crescente entre os investidores de que muitas empresas dot-com não tinham um modelo de negócios viável ou eram extremamente supervalorizadas.
  7. Consequências: O estouro da bolha resultou em grandes perdas financeiras para muitos investidores, e algumas empresas que eram vistas como pilares da era dot-com desapareceram. No entanto, algumas empresas sobreviveram e se tornaram líderes em seus setores, como Amazon, Google e Microsoft.

Em resumo, a bolha dot-com é frequentemente citada como um exemplo clássico da psicologia de manada e da especulação financeira desenfreada. Ela serve como um lembrete de que, mesmo em face a novas tecnologias e mudanças de paradigma, os fundamentos econômicos e a prudência nos investimentos ainda são essenciais.

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore