fbpx

Onda de calor acima de 40ºC: veja se onde você mora será afetado

Calor no Brasil em agosto (Imagem: Inmet)

Uma onda de calor deve atingir diversas regiões do Brasil nos próximos dias entre esta terça-feira (22) até pelo menos o próximo sábado (26), os termômetros podem bater 40°C em alguns lugares.

De acordo com o Climatempo, essa mudança vai descaracterizar o último mês do inverno de 2023, que deve ser marcado por recordes de temperatura este ano.

Ao longo do mês, as temperaturas já vem aumentando em regiões do Centro-Oeste, Nordeste e partes do Sudeste, causando uma onda de calor no mês de agosto.

Apesar disso, o cenário previsto para os próximos dias é de um calor recorde para o mês, fora do normal em comparação com os anos anteriores.

“Desta vez estamos falando de temperaturas que podem chegar aos 37°C em Campo Grande e Goiânia, aos 42°C em Cuiabá, 34°C em Brasília, 34°C em São Paulo (o recorde é 33,1°C) e 39°C no Rio”, explica o meteorologista do Climatempo Vinicíus Lucyrio sobre a onda de calor.

Após esse período de calor, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), prevê uma nova onda de frio que deve chegar ao Brasil através da região Sul.

Fonte: INMET.

Previsão de Chuva por região

O Inmet também atualizou a previsão de chuva para cada região do Brasil entre os dias 21 e 28 de agosto, confira:

  • Região Norte: são previstos volumes de chuva maiores que 30 milímetros (mm) no noroeste do Amazonas, devido ao calor e alta umidade. Nas demais áreas, como no Pará, Amapá e Tocantins haverá predomínio de tempo seco e sem chuvas.
  • Região Nordeste: há previsão de tempo seco e sem chuvas, além de baixos valores de umidade relativa, principalmente, em áreas do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) e interior da região. No entanto, no início da semana, podem ocorrer baixos acumulados de chuva no litoral sul da Bahia.
  • Centro-Oeste: a persistência de uma massa de ar quente e seco deixará o tempo estável e sem chuvas em praticamente toda a região. Além disso, poderão ser registrados baixos valores de umidade relativa do ar, chegando a valores inferiores a 20%, principalmente, entre os estados de Mato Grosso, Goiás e no Distrito Federal.
  • Sudeste: o tempo também ficará seco e sem chuvas, principalmente, em áreas do oeste de São Paulo, Triângulo Mineiro e norte de Minas Gerais. Ainda no norte de Minas, podem ser registrados baixos valores de umidade relativa do ar, inferiores a 30%. Já em áreas do Rio de Janeiro, Espírito Santo e leste de Minas Gerais, no início da semana, podem ocorrer volumes de chuva maiores que 30 mm, devido a um sistema de baixa pressão.
  • Região Sul: a atuação de uma frente fria sobre o oceano, no início da semana, intensificará áreas de instabilidade que causarão acumulados de chuva que podem ultrapassar 10 mm no Rio Grande do Sul e leste de Santa Catarina. Já no oeste da região, principalmente no Paraná, há previsão de tempo seco e sem chuvas em grande parte da semana.
Fenômenos como El Niño podem contribuir com variações temporárias da temperatura média global (Imagem: Divulgação)

Ondas de calor como consequência do El Niño

  • El Niño é um fenômeno meteorológico que eleva a temperatura do Oceano Pacífico.
  • Existem dois tipos: o clássico, que altera a temperatura do mundo inteiro a partir do aquecimento de uma faixa do Pacífico, e o costeiro, em que há o aquecimento apenas na costa do Peru e do Equador.
  • Ele acontece a cada dois a sete anos e dura cerca de nove a 12 meses.
  • Como consequência, há recordes de temperaturas em várias partes do globo, além do aumento de secas ou chuvas, dependendo do lugar do mundo.

Fonte: Ohar Digital / Lucas Soares

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore