fbpx

Cientistas criam sistema inovador de carregamento sem fio

Mesmo quando colocados a 18 cm de distância, a eficiência do carregamento sem fio permaneceu em mais de 80%
Image: Nam Ha-Van/Aalto University

Um novo sistema capaz de transmitir energia em um carregamento sem fio de forma mais eficiente e em maiores distâncias foi desenvolvido por engenheiros da Aalto University, na Finlândia. A nova teoria foi criada a partir de duas antenas e publicada em um estudo.

O carregamento sem fio já existe, mas atualmente requer que um dispositivo seja colocado em contato com o responsável pela recarga. Esses sistemas usam indução magnética para transferir energia em curtas distâncias, mas isso limita o alcance do carregador e a quantidade de energia que pode ser transferida.

Com a descoberta, a recarga pode acontecer 100% sem fio e à distância.

 

Como funciona a tecnologia?

  • Os engenheiros da Aalto University desenvolveram a nova tecnologia ajustando as correntes nas antenas.
  • Assim, eles conseguiram suprimir a resistência à radiação nos loops e aumentar a eficiência.
  • Mesmo quando colocados a 18 cm de distância, a eficiência de transferência de energia permaneceu em mais de 80%.
  • “Queríamos equilibrar a transferência efetiva de energia com a perda de radiação que sempre acontece em distâncias maiores. Acontece que quando as correntes nas antenas de loop têm amplitudes iguais e fases opostas, podemos cancelar a perda de radiação, aumentando assim a eficiência”, explicou Nam Ha-Van, principal autor do estudo.
  •  

Diversos usos para o carregamento sem fio

    • Além de ser utilizada no carregamento de aparelhos celulares, a descoberta pode auxiliar em diferentes áreas, caso da medicina, por exemplo.
    • “Trata-se de descobrir a configuração ideal para transferência de energia sem fio, seja perto ou longe. Com nossa abordagem, agora podemos estender a distância de transferência além da dos sistemas convencionais de carregamento sem fio, mantendo a alta eficiência”, afirmou Ha-Van.
    • Apesar do avanço, nenhum dispositivo foi construído: trata-se apenas da teoria.
    • Não há previsão para que a tecnologia comece a ser comercializada.

    Com informações de Aalto University.

Fonte: Olhar Digital | Por Alessandro Di Lorenzo, editado por Bruno Capozzi

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore