fbpx

Com tecnologia para usinas, empresa quer faturar R$ 100 milhões por ano até 2027

A transição da matriz energética global está ajudando no crescimento de negócios para empresas dedicadas à produção e operação de energias renováveis em substituição ao uso de combustíveis fósseis

Foto: divulgação.

AQTech, que desenvolve tecnologias para monitoramento e diagnóstico de ativos de usinas hidrelétricas e eólicas, vem sentindo no bolso essas oportunidades ao desenvolver soluções que acompanham o desenvolvimento do setor. 

A empresa de Florianópolis fechou o último ano com R$ 41 milhões em receita. O valor é 33% maior do que o alcançado no ano anterior e 30 vezes superior ao registrado em 2016, quando o atual grupo de investidores assumiu a companhia.

Os valores são decorrentes de operações nas Américas, Europa e Ásia, onde ajuda players geradores de energia a se tornarem mais eficientes e a reduzirem custos com operações e manutenções de máquinas.

O sucesso em nossa escalada de crescimento está no investimento em pesquisa e desenvolvimento para fornecer serviços e soluções confiáveis e inovadoras para impulsionar a transição energética. Hoje, nós conseguimos prover tecnologias preditivas por meio de hardwares e softwares de última geração, que contribuem para uma gestão mais eficiente, econômica e analítica dos ativos de energia”, destaca Thiago Kleis, Global Sales Director da AQTech.

O ponto crucial para a curva de aceleração se deu há 6 anos, quando o ex-diretor de vendas da Reason (posteriormente General Electric), Sylvio Ramos Filho, se tornou acionista e assumiu a presidência da empresa.

Até aquele momento, já se destacava pelo perfil técnico e focado em encontrar soluções para resolver os desafios de geradoras de energia, mas intensificou a aposta em uma nova política mercadológica que visava agregar novas tecnologias em seu portfólio.

Através da incorporação de Machine Learning, Industrial Internet of Things (IIoT) e Big Data, a empresa viu seus resultados darem um salto e atingirem a média de 52% de CAGR anual entre 2017 e 2023.

TECNOLOGIAS PREDITIVAS

Sua tecnologia de nível mundial inclui o VibraOne Hydro, lançado em 2019, que realiza monitoramento contínuo e registro das condições de operação das unidades geradoras, possibilitando a detecção de falhas e intercorrências nas turbinas em atividade.

Além disso, a empresa detém o software Analyzer, que auxilia na avaliação automática da condição da máquina, permitindo a realização de manutenções direcionadas dos ativos.

Mais recentemente, a empresa apostou também na entrada do mercado de energia eólica com o VibraOne Wind, hardware que registra e monitora de forma contínua as condições operacionais de aerogeradoras, permitindo reunir milhares de dados e informações relacionados a performance das turbinas eólicas através do software OneBreeze.

Lançada em 2020 em meio à pandemia, a tecnologia representa papel significativo na escalada de negócios. Em 2019, ainda sem a linha wind energy, a empresa havia faturado R$ 10,4 milhões. Já em 2020, primeiro ano com a solução disponível no mercado, o faturamento mais do que dobrou, chegando a R$ 23,4 milhões.

PRÓXIMOS PASSOS

A empresa está projetando uma visão audaciosa para os próximos anos. Com a meta de alcançar R$ 100 milhões anuais até 2027, a organização concentra seus investimentos na expansão internacional e também na ampliação de seu portfólio para monitoramento de ativos, com especial destaque para o segmento de aerogeradores.

Atualmente, monitora máquinas que representam 16GW de ativos de geração renovável instalada no Brasil e no exterior e fornece soluções para clientes e parceiros de grande porte como CEMIG, Eletrobrás, Statkraft, Votorantim Energia, ENEL, CSN, CPFL, Elera Energia,  Santo Antônio Energia, entre outros.

Fonte: Economia SC / Ana Paula Dahlke

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore