fbpx

Virgin Galactic faz primeiro voo totalmente turístico ao espaço

Hoje ao vivo, o lançamento de um avião espacial da Virgin Galactic com três turistas a bordo rumo ao espaço
A missão Galactic 01, lançada no fim de junho, foi o primeiro voo comercial da Virgin Galactic, mas não foi uma missão de cunho turístico. Crédito: Virgin Galactic

Está programado para esta quinta-feira (10), ao meio-dia (pelo horário de Brasília), o lançamento do primeiro voo totalmente turístico da Virgin Galactic ao espaço.

Chamada Galactic 02, esta é a segunda missão comercial da empresa – sendo que a primeira (Galactic 01), foi contratada pelo governo italiano para a execução de experimentos científicos em microgravidade, não sendo, portanto, considerada de caráter turístico.

Durante esses voos comerciais (que, a partir de agora, a Virgin Galactic garante que serão mensais), quatro pessoas (incluindo sempre um funcionário da empresa como instrutor) fazem uma viagem para além da Terra a bordo de um avião espacial.

Com apresentação de Bruno Capozzi, nosso editor-executivo, e comentários do editor de Ciência e Espaço, Lucas Soares, e do astrônomo Marcelo Zurita, presidente da Associação Paraibana de Astronomia (APA), membro da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e diretor técnico da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (BRAMON), a live do Olhar Digital começa às 11h55.

Quem são os primeiros turistas espaciais da Virgin Galactic

Os passageiros do primeiro voo comercial turístico da Virgin Galactic serão: Keisha Schahaff e Anastatia Mayers, mãe e filha que ganharam as passagens por meio de um sorteio, e Jon Goodwin, que comprou seu assento em 2005, por US$250 mil (quase R$690 mil, na cotação média da época, ou R$1,22 milhão, na conversão atual). 

De acordo com o site Business Insider, o foi a quarta pessoa a comprar um ingresso da Virgin Galactic. No mesmo ano, ele foi diagnosticado com a doença de Parkinson, passando a temer que a viagem nunca acontecesse – e este dia, finalmente, chegou!

Tripulação da missão Galactic 02: Jon Goodwin, ex-atleta olímpico do Reino Unido, a personal trainer Keisha Schahaff e sua filha Anastatia Mayers, de Antígua e Barbuda. Crédito: Virgin Galactic

Aos 80 anos, o ex-canoísta britânico se tornará o primeiro atleta olímpico a ir ao espaço. E a companheira de voo Anastatia, uma estudante de 19, será a segunda pessoa mais jovem no mundo a realizar o feito. Ela e sua mãe, que é personal trainer, são da nação insular Antígua e Barbuda, que fica no Caribe.

Junto do trio estará Beth Moses, astronauta 002 da Virgin Galactic, que foi responsável pelo treinamento da tripulação.  

Beth Moses, astronauta 02 e instrutora chefe da Virgin Galactic. Crédito: Virgin Galactic

Como a Virgin Galactic leva pessoas ao espaço?

O voo começa quando o porta-aviões VMS EVE decola do Espaçoporto America (a base de lançamento da Virgin Galactic localizada no estado norte-americano do Novo México), transportando o avião espacial VSS Unity até certa altitude e soltando o veículo, que aciona então seus próprios motores para seguir rumo a cerca de 80 km acima da superfície terrestre (ponto definido por algumas instituições como início do espaço).

Desta vez, o VMS EVE será conduzido por Kelly Latimer, ex-piloto da NASA, e C.J. Sturckow, ex-astronauta da agência que tem quatro missões de ônibus espaciais no currículo, incluindo o primeiro voo do programa. Quando estiver a cerca de 15 km de altitude, o veículo vai soltar o VSS Unity, que seguirá para fora da Terra.

Na fileira de cima, C.J. Sturckow e Kelly Latimer, pilotos do porta-aviões VMS Eve. Abaixo, Mike Masucci e Nicola Pecile, que vão comandar o avião espacial VSS Unity. Crédito: Virgin Galactic

Na condução do avião espacial estarão Mike Masucci (tenente-coronel aposentado da Força Aérea dos EUA e piloto veterano da Virgin Galactic) e Nicola Pecile (tenente-coronel aposentado da Força Aérea Italiana, em sua segunda missão ao espaço – a primeira foi o voo Galactic 01).

Como todas as missões comerciais da empresa, esse será um voo suborbital. Isso significa que a espaçonave não atingirá velocidade suficiente para alcançar a órbita da Terra. Assim, o veículo sobe até determinado ponto e depois volta ao solo, não circundando o planeta. Mesmo assim, por alguns instantes durante os estimados 90 minutos de voo, os passageiros experimentam a sensação de ausência de gravidade.

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Siga a Ascenda Digital
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore